Daniela Ferreira Pinheiro

Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto

estudante de doutoramento // bolseira FCT

Título da tese
Compounds of the Artistic Freedom: Motivação Intrínseca e Auto-constrangimento como Ferramentas Essenciais para a Prática Artística

Referência FCT
SFRH/BD/144944/2019

Resumo
Perante o confronto com práticas artísticas que se envolvem continuamente com um conjunto auto deliberado de cíclicos constrangimentos, questionamo-nos sobre a dinâmica opcional que leva alguém a recorrer constantemente a esta metodologia. A noção de ‘motivação intrínseca’ abordada por Teresa Amabile, parece-nos ser o elemento conector entre um condicionamento opcional e a liberdade criativa. Do mesmo modo, o ‘auto-constrangimento’ associado à liberdade artística e a uma apreensão constante de novas aceções, indicia uma revitalização da motivação intrínseca. Sob este movimento, que nos parece ascendente, estruturámos o diagrama de CoAF – Compounds of the Artistic Freedom –, que se assume como o objeto central deste estudo. Esta contínua fomentação da motivação intrínseca do sujeito pelo constrangimento parece-nos estar na base da prática e da liberdade artísticas. A proposta encaminha-se no sentido de analisar teoricamente o CoAF e a sua possível aplicabilidade no contexto da prática e da educação artísticas.

Orientação
Domingos Loureiro (orientação) e Teresa Almeida (co-orientação)

 

Mais info