seminário

O Capitalismo e a pulsão da morte: Com que se parece o desejar Pós-Capitalista?

Aula Aberta com Irmgard Emmelhainz promovida pelo Doutoramwento em Artes Plásticas da FBAUP.

  • 22 Novembro 2022
  • 4:00 PM
  • Aula Magna da FBAUP

A história da civilização moderna baseia-se no princípio da expansão infinita da potência masculina sobre as mulheres e a natureza, numa ideia completamente agressiva e masculina da potência e do desprezo pela vida. Este movimento também nega a morte e está ligado à crença de que os seres humanos podem ultrapassar as barreiras biológicas e a entropia através da tecnologia. Na fase actual da nossa civilização moderna, a auto-afirmação e a auto-destruição são duas faces da mesma moeda. Embora estejamos já a entender que a agência humana sobre o planeta é uma fantasia que já não existe, estamos imersos em intermináveis ciclos de violência e epidemias de dependência e autodestruição. Como podemos vislumbrar um futuro neste mundo?

____
Irmgard Emmelhainz é uma escritora e pensadora mexicana. O seu livro mais recente é: “Amores tóxicos, futuros imposibles: El vivir feminista como modo de resistência” (Toxic Loves, Impossible Futures: Feminist Living as a Mode of Resistance). É membro do Sistema Nacional de Creadores e o seu trabalho foi publicado em mais de 10 línguas para além do espanhol e do inglês. Tem dado conferências em todo o mundo, tais como o Museu Munch em Oslo (2018), a Universidade de Harvard em Boston UE (2013), a Sociedade das Américas em Nova Iorque (2013, 2016), a Universidade do Texas em El Paso, a Escola de Estudos Visuais em Nova Iorque (2017, 2019), a Universidad Distrital na Colômbia (2013, 2019).

Foto: modelo do desfile de Balenciaga, na Paris Fashion Week, no cenário desenhado pelo artista Santiago Sierra, 2022.