Arts and Crafts

Arts and Crafts Aujourd’hui

Projeto de investigação | Erasmus+

Produção Artística, Processos e Estudos Tecnológicos
  • Referência
  • 2021-1-FR01-KA220-HED-000032240
  • Financiamento
  • € 449.967,29
  • Financiamento i2ADS
  • € 70.592,00
  • Período
  • 02.11.2021 — 02.11.2024

O Projeto Arts & Crafts Aujourd’hui responde à necessidade de profissionalização de jovens artistas e designers, questão que está no centro das preocupações das Instituições de Ensino Superior Europeias (IES) de arte e design. Embora o setor criativo gere cerca de 30 milhões de empregos em todo o mundo e empregue mais pessoas com idades entre 15 e 29 anos do que qualquer outro setor, os graduados em artes visuais enfrentam dificuldades de integração profissional. Além disso, artistas e designers manifestam o interesse em reavaliar o saber fazer local e estabelecer um diálogo com diversos agentes, seja do ponto de vista técnico, profissional e cultural. Isto é acompanhado por um interesse acrescido pelos processos de produção, pela materialidade das obras/criações/obras, relacionada com a conhecimento específico da manualidade. Essas orientações podem estar ligadas à busca de modos alternativos de produção ecologicamente responsáveis numa era pós-industrial e estão associadas a um desejo de repensar a relação com o objeto na era do Antropoceno. As preocupações ecoam plenamente ao movimento Arts and Crafts, um movimento inglês do final do século XIX, que se caracteriza pela vontade de fundir a arte com o artesanato e pode ser considerado uma fonte de design. Uma atitude crítica em relação às utopias concretas ligadas à ecologia, uma relação assumida com a técnica e o artesanato, buscando a indefinição das fronteiras entre arte, arte decorativa e design são questões que encontram hoje um eco particular na arte e no design.

As abordagens propõem soluções para transformar usos, estilos de vida e representações em relação à emergência ecológica. Embora as IES artísticas já se tenham dado conta dessas bifurcações, ainda precisam traduzi-las em programas de ensino/formação que preparem os alunos para estas novas orientações. Assim, através desta temática de Artes e Ofícios inserida no contexto contemporâneo, o nosso projeto pretende propor novos métodos pedagógicos para formar artistas e designers prontos para entrar no mercado de trabalho, ambientalmente engajados, abertos ao mundo e valorizando as culturas locais. Isso será possível através de novas ferramentas pedagógicas que permitam a aquisição de competências em diversos saberes, integrando uma abordagem ecológica e uma capacidade de colaboração com os atores do mundo profissional. A diversidade e notoriedade dos parceiros internacionais permite-nos construir um projeto educativo inovador que vá ao encontro destas necessidades. O projeto é liderado pelo Laboratoire d’Experimentations des Modernités de Esadse com seus parceiros internacionais: – Royal Academy of Fine Arts de Bruxelas, ArBA, Bélgica – Academy of Art and Design Bratislava, VSVU, Eslováquia – Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, FBAU.Porto, Portugal – Escola de Artes Visuais e Media da Universidade de Quebec em Montreal, UQAM, Canadá Além disso, o projeto integra um grande número de parceiros associados: artesãos, espaços de produção e divulgação e o Instituto Nacional de Belas Artes de Tetouan.

O projeto visa desenvolver novas metodologias nas IES artísticas com foco na materialidade, procedimentos, gestos como forma de experimentação e pesquisa, com atenção particular aos temas do ecodesign. Estas metodologias irão integrar o desenvolvimento e utilização de ferramentas digitais na transmissão de know-how de forma a propor um equilíbrio adequado entre os contactos digitais e físicos entre os interessados. A tecnologia digital também faz parte de uma abordagem colaborativa como alavanca de intercâmbio entre vários intervenientes e para acompanhar a formação em cooperação entre artistas, designers e artesãos. Os objetivos metodológicos visam: – Explorar o papel particular do artista como ator de mudança, que se coloca no centro das questões sociais, descompartimentando e democratizando a arte e o design – Procurar novos modos de produção, respondendo aos desafios ecológicos ( gestão de resíduos, minimização de resíduos, gestão de recursos, reorganização da forma como produzimos) – Incentivar a inovação e a transformação de percepções e usos através da colaboração entre artesãos, designers e artistas. O projeto responde assim às duas prioridades do Programa Erasmus+. Seus resultados visam atender aos desafios da sociedade, apoiando o desenvolvimento de programas inovadores que focam nas necessidades dos estudantes de arte e design, formando verdadeiros atores da transição ecológica.

  • Instituições participantes
    Laboratoire d’Experimentations des Modernités de Esadse (Coordenação)
    Royal Academy of Fine Arts de Bruxelas (ArBA), Bélgica
    Academy of Art and Design Bratislava (VSVU), Eslováquia
    Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto (FBAUP), Portugal
    Escola de Artes Visuais e Media da Universidade de Quebec (UQAM), Canadá

  • Coordenador i2ADS
    Francisco Laranjo

  • Equipa i2ADS
    Domingos Loureiro, Susana Piteira, Teresa Almeida