Mariana Barrote

Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto

Mariana Ribeiro Barrote (1986: Fão, Portugal). Concluiu o Mestrado em Artes Plásticas em 2020 pela Universidade do Porto – Faculdade de Belas Artes – e Licenciatura em Artes Plásticas – Pintura em 2012 pela mesma Faculdade. Percurso na área das Humanidades -Artes, com obra exposta em diferentes contextos: exposições individuais e coletivas em galerias comerciais e espaços de difusão cultural; participação em feiras de arte internacionais; participação em bienais de arte e em residências artísticas. Desenvolve o projeto Incertae-sedis: espécies vertigem, com apoio à criação da Fundação Calouste Gulbenkian (2021/2022), com parceria do Museu de História Natural e Ciências da UP. A prévia investigação Incertae-sedis foi financiada pelo Fundo Fomento da Cultura (2020) no programa de apoio extraordinário às artes. Colaborou e integrou “A dança do Cipreste” (Mariana Caló e Francisco Queimadela, média-metragem, 2020), tendo representado também para a instalação Animal, Mineral Vegetal (2018) dos respetivos artistas, obra vencedora do prémio de arte Paulo Cunha e Silva e agora instalada na Collecion Inelcom, Madrid. Artista representada pela extinta Galeria Sala117 (2018 a 2020). Membro fundador (entre 2014 e 2016) do coletivo Chapa Azul – oficina itinerante de técnicas de impressão (financiado pela Fundação Calouste Gulbenkian), co-organizando, a convite, duas edições do P.A. prova de artista -Encontro internacional de gravadores e impressores (residências artísticas, oficinas, exposições e concertos). Recebeu Recebeu 1º prémio Aveiro Jovens Criadores (2011).

 

Mais info