UNEDITED

Pocket Publication: the Economy of Publishing

É costume perceber-se o livro como um objecto, portátil, auto-contido, e estendemos essa mobilidade e isolamento ao seu autor, esquecendo as estruturas e instituições que sustentam um e outro – no fundo, a sua economia.

Nestas conversas discutir-se-á a economia da edição, uma expressão que admite mais do que um sentido: em primeiro lugar, as condições materiais que suportam a concepção, a edição e a distribuição de publicações, mas também um minimalismo, uma economia de meios; um conjunto de temas, pessoas e assuntos aos quais se volta cumulativamente, construindo um acervo, um capital que é também humano e geográfico – os objectos circulam à medida que as pessoas (e as oportunidades) circulam; uma lógica da sobrevivência entre a competição e a cooperação, uma ecologia.

Olharemos para todo o espectro de causalidade(s) que permitem a manutenção/permanência/”sucesso” de um projecto editorial. Numa economia baseada nos princípios de confiança, cumplicidade, partilha de afinidades, todos os aspectos são importantes para a manutenção (no limite, a existência) de projectos editoriais de pequena escala, escala própria ou escala independente.

Editores convidados: [Mário Moura (FBAUP) e Sofia Gonçalves (FBAUL)]