SEM ESPAÇO – Arquiteturas descartáveis – Uma investigação em desenho – Projeto DESEMBARAÇO

RESUMO

 

Este artigo analisa a potencialidade do desenho na compreensão de arquiteturas descartáveis ou estruturas pop-up no espaço urbano. Estas estruturas— na relação com os lugares que as enquadram e os acontecimentos dos quais geralmente dependem— solicitam a construção de eixos diagonais entre diferentes estratégias, meios e convenções, e a transferência entre dimensões do desenho e do lugar. O projeto apresentado é uma instância de uma investigação sobre a relação entre o desenho e as potencialidades das estruturas descartáveis. Com esta análise pretende-se compreender a forma como o desenho lida com os atributos temporais destas estruturas e reflete o acontecimento que as origina, explorando a sua condição híbrida como projeto e formulação, como gesto icónico e performativo. Interroga-se a noção de hiperdesenho na reencenação destas estruturas e as possibilidades expansivas da linha enquanto elemento transitivo entre dimensões.

Em termos metodológicos partiu-se de uma abordagem fenomenológicas espécies de espaço de Vila Nova de Cerveira, em particular às que refletem uma dimensão descartável ou pop-up. Para isso foi feito um mapeamento exaustivo do lugar numa apreensão visual, mas também háptica (Marks, 2000) com recurso à cartografia (Deleuze e Guattari, 1997) e à etnografia (Foster, 1996). A experiência direta do espaço permitiu, ainda, averiguar as potencialidades destas estruturas enquanto temas e processos de desenho.

A investigação materializa-se num projeto contextual, designado DESEMBARAÇO (2017), produzido no âmbito de uma investigação doutoral e a ser apresentado na XIX Bienal Internacional de Arte de Cerveira. Trata-se de um desenho situado, feito com base nas estruturas vernaculares conhecidas como “Varas de Pesca”, específicas das margens do Rio Minho, no norte de Portugal. Com este projeto reflete–se sobre a construção identitária dos lugares, dos espaços da margem e da unidade funcional entre perceção do espaço e perceção da ação.

Palavras-chave: desenho, hiperdesenho, arquitetura descartável, cartografia

Autores:

Flávia Costa1

Paulo Luís Almeida2

 

Ano 2017
Tipo Publicação em Actas
Publicação 16º Encontro Internacional de Arte e Tecnologia: #16.ART: Artis intelligentia: IMAGINAR O REAL
Páginas 738-742
Editora i2ADS
Local Porto
ISBN / ISSN ISBN: 978-989-99839-3-9 ISBN eletrónico: 978-989-99839-5-3
PDF