PROCESSOS PIROPLÁSTICOS NA REALIZAÇÃO ESCULTÓRICA: A ARDÓSIA PIRO-EXPANDIDA

Autores: João Cunha e Costa (i2ADS) ; Teresa Almeida (i2ADS); Celso Gomes (GeoBioTec)

Resumo – A ardósia (xisto preto) transformada por processos piroplastico, denominada ardósia piroexpandida, é apresentado neste trabalho como meio expressivo. Fazendo uso de conhecimento da geologia, o comportamento da ardósia, quando submetida a temperaturas entre 1000ºC e os 1240ºC, foi estudada. Submetida a processo piroplástico, similar à cozedura cerâmica, a ardósia expande-se até quatro vezes o seu volume e mostra a sua composição original e o seu processo formação geológica com uma expressividade intensa que nos surpreende.
Este trabalho também apresenta algumas possibilidades técnicas de conformação da ardósia piroexpandida, baseado na reacção de diferentes elementos de ardósias durante o processo piroplastico e com participação de elementos de outros materiais, como a cerâmica e o ferro. Essas interações, enquanto associação de diferentes materiais que reagem uns com os outros, enfatizam as características dramáticas de novas composições escultóricas, aumentando as capacidades plásticas deste material.
A relação entre arte e ciência é estabelecida pela pesquisa e a utilização de novas técnicas e materiais.

Palavras-chave – cerâmica, geologia, ardósia piro-expandida, escultura.

Ano 2012
Tipo Publicação em Actas
Publicação V World Congress on Communication and Arts
Páginas 229-233
Local Guimarães
Idioma Português
Link Ver Link