Os efeitos da aprendizagem musical no desempenho académico de estudantes portugueses do 8º ano

A associação positiva entre aulas de música e desempenho académico está bem documentada na literatura. Os alunos que aprendem música apresentam melhores resultados académicos do que aqueles que não estão envolvidos em atividades musicais. No entanto, esta associação é multifacetada e pode apenas ser explicada se várias dimensões forem tidas em conta, tais como o nível socioeconómico (NSE) ou a inteligência geral (g). Foram encontradas diferenças significativas em desempenho académico, entre estudantes do 8º ano que estudaram música (n = 60) e aqueles que não estudaram (n = 50), em cinco de sete disciplinas analisadas: Ciências da Natureza, Físico-Química, Língua Portuguesa, História e Geografia. Além disso, uma análise de regressão linear múltipla foi conduzida a fim de avaliar o papel desempenhado por outras dimensões (NSE e inteligência geral) no desempenho académico. Após a inclusão do NSE na análise, os resultados indicaram que o ensino de música contribuiu ainda significativamente para a variância do desempenho académico. No entanto, em combinação com todos os fatores (ensino de música, NSE e inteligência geral), a aprendizagem musical perdeu a sua significação estatística. Além disso, ao contrário da maioria dos estudos, uma constatação importante foi que o NSE não teve impacto significativo sobre o desempenho académico. Em conclusão, os resultados sugerem que o ensino musical tem uma relação positiva com a performance escolar.

Ano 2011
Tipo Publicação em Actas
Publicação International Symposium on Performance Science
Páginas 425-430
Editora European Association of Conservatoires (AEC)
Local Utrecht, The Netherlands
Ed/Org Aaron Williamon, Darryl Edwards, and Lee Bartel
ISBN / ISSN 978-94-90306-02-1
Idioma English
Link Ver Link