O lugar do olhar: A cianotipia no ensino em Artes Visuais

O “Lugar do Olhar” é um livro que resulta de uma experiência em contexto de prática pedagógica supervisionada sendo, por isso, grande parte do seu corpo, resultante da dissertação de mestrado em Ensino das Artes Visuais no 3.ºCiclo do Ensino Básico e Secundário com o mesmo nome. Deste modo, é um texto que se assume como uma articulação entre a acção e a reflexão crítica em Artes Visuais, pensando o papel deste professor como artista e desta área específica na paisagem escolar.
Num mundo contemporâneo cada vez mais repleto de mensagens visuais, torna-se fundamental que os alunos de artes visuais entendam criticamente os fenómenos da visão e da percepção. Assim, através de uma jornada pelos discursos da fotografia, desenha-se um diálogo entre uma fotografia com câmara e uma fotografia sem câmara, como pretexto para falar sobre a maneira como vemos e pensamos as coisas. Sendo assim, e sabendo que a fotografia que provém de uma câmara foi responsável pela fabricação e legitimação de um determinado tipo de olhar, bem como pela produção de um determinado tipo de sujeitos, a hipótese que se avança neste livro desenvolve-se a partir de uma concepção foto-gráfica da fotografia, aonde a Cianotipia surge como instrumento desequilibrador da habitual compreensão de fotografia, já que enquanto processo fotográfico sem câmara, põe em crise a relação perspéctica/matemática com a realidade e a sua representação mimética. No entanto, de que forma é que este jogo entre fotografia com câmara e sem câmara, entre um ver monocular, normalizado e normalizador, e um ver binocular, desterritoralizado e heterogéneo, se encontra um sentido para a sua presença na paisagem escolar? Ou seja, qual a pertinência destas experiências através da Cianotipia para o campo da educação em geral, e do ensino em artes visuais em particular? Que tipo de experiências os sujeitos agenciam através da Cianotipia enquanto fotografia sem câmara? Quais as possibilidades desta visão estereoscópica fluir dentro da paisagem escolar? Qual o lugar do olhar?
Em suma, este livro diz-nos que a percepção gerada pela Cianotipia numa espécie de visão quântica do mundo é importante para a construção dos sujeitos na relação com os outros, e consigo próprio, fornecendo-lhes as ferramentas para se movimentarem num meio cada vez mais incerto, no objectivo de “armar cada mente no combate vital rumo à lucidez” (Morin, 2000:14). Isto porque, no fim de contas, os dispositivos da visão têm moldado os nossos olhares e, portanto, os nossos saberes… por isso, é importante considerar com seriedade o processo de aprender a ver.

 

Palavras-chave: Ensino das Artes Visuais; Fotografia; Cianotipia; Visão; Professor-artista; Criação de subjectividades; Plasticidade.

 

Autor(es)
Editora U.Porto Editorial
Local Porto
Ano 2012
ISBN / ISSN 978-989-8265-75-3
Idioma Português
Tipo Livro