O desenho no espaço do “não-saber”

16 December 1989. Language can express only what Language enables it to express. Language is only the language of consciousness. “What one cannot say, one does not know”. That is why all theory is absolutely circumscribed, almost unusable, but always dangerous.

GERHARD RITCHER, THE DAILY PRACTICE OF PAINTING. WRITINGS 1962-1993.PÁG.182.

 

“Antes de entrar nas questões enunciadas anteriormente na sinopse, é para mim necessário debruçar-me um pouco sobre o título deste projecto de investigação.

Apesar de todos sabermos que o grande título aglutinador deste projecto (“bases conceptuais da investigação em pintura”) não se pretender restrito e fechado na justeza do seu nome, a sua escolha enuncia (indicia?) um predomínio de alguma coisa (conceitos) como base (sustentação, princípio, pressuposto) de uma outra (investigação em pintura). Podemos entender que o que se pretende com este título é explorar os pressupostos conceptuais (as bases matriciais) que determinam a investigação em pintura.

Temos duas questões aqui, uma relacionada com a ideia da existência de uma “base”, outra relacionada com a dificuldade de identificar o que é a “investigação em pintura”. A primeira coloca-se em saber da validade desta estrutura ascendente e sequencial, desde as bases conceptuais (como apriori e pressuposto) até “à investigação em pintura”, i.e., se há um sentido hierárquico e determinista dos conceitos sobre pintura (no fundo, saber se a pintura não é mais do que uma consequência de uma formatação conceptual); a segunda relaciona-se com o uso da preposição “em” que estabelece uma relação de lugar entre as duas coisas.(…)”

Autor(es)
Ano 2017
Tipo Capítulo de Livro
Publicação Pensar o fazer a pintura : 31 teses sobre investigar e criar em pintura
Páginas 284-290
Editora AFRONTAMENTO
Local Porto
ISBN / ISSN ISBN: 978-989-746-119-4
Idioma Português
Link Ver Link