Novas da Desolação – Notas sobre arte e real

Nas palavras de Zygmunt Bauman a produção “natural” de resíduos operada pelo progresso estende-se agora, na cartografia global, aos humanos. Os resíduos humanos encontram-se nos territórios da alteridade, no interior das fronteiras e são, acima de tudo, o resultado angustiante de uma perversa combinação de lucro desenfreado e hipocrisia cultural. Na arte contemporânea assistimos a um fenómeno semelhante: à expansão das mega-corporações corresponde aqui a expansão das mega-exposições um pouco por todo o mundo e, com ênfase nos territórios “exteriores”, numa lógica de import-export que miuto pouco tem já a ver com os pressupostos iniciais.

(continuar a ler)

Ano 2008
Tipo Artigo de opinião em jornal, Artigo electrónico
Publicação Revista Concinnitas, 12
Páginas 89-99
Editora Universidade Estadual do Rio de Janeiro
Local Rio de Janeiro, Brasil
Ed/Org Sheila Cabo Geraldo, Luiz Felipe Ferreira, Roberto Conduru
ISBN / ISSN 1415-2681
Idioma Português
Link Ver Link