Máquinas de Desenho e a Representação da Realidade – O Mundo Visto por uma Janela

Nas duas últimas décadas, graças à proliferação de computadores pessoais e, sobretudo, à implementação de tecnologias digitais no desenho e na arte, temos vindo a assistir à publicação de inúmeras obras sobre máquinas de desenho. Se, por um lado, The Science of Art, de Martin Kemp, e Las Máquinas de Dibujar, de Lino Cabezas, podem ser consideradas como as principais obras de referência sobre o tema, explorando as conexões entre arte, ciência e tecnologia, por outro, ensaios tais como Los Ruidos de la Máquina, de José Gomez Islas, e Secret Knowledge, de David Hockney, sugerem-nos, em relação a períodos históricos específicos, que a utilização de dispositivos tecnológicos terá tido um papel determinante no modo como alguns artistas representaram a realidade.

Máquina de Desenho / Drawing Machine

Espelho gráfico do Alexander

 

O presente trabalho teve como primeiro objectivo a criação de uma base de dados cronológica sobre a invenção e o uso de máquinas de desenho, através do levantamento, descrição, análise e classificação dos artefactos inventados desde o século XV até ao surgimento da fotografia. O segundo objectivo, que parte da assunção que os artistas sempre nutriram uma curiosidade especial pelos fenómenos ópticos e pela respectiva tecnologia associada, tem como propósito, em relação ao mesmo período, estudar as implicações da utilização de máquinas na produção de imagens da realidade.

Autor(es)
Ano 2010
Tipo Tese
Instituição Universidade do Porto
Grau Doutoramento
Orientador(es) Vítor Silva
Idioma Portuguese
Área Desenho