Lixo Extraordinário: reciclar os caminhos da pesquisa e da produção de arte na escola

Capítulo publicado  em co-autoria com Estêvão Haeser no livro “Usando Filmes nas Aulas de Arte”.

Apresentação do livro:

“O título desta proposta é propositalmente conjugado no gerúndio (uso – o + ando = exprimir uma circunstância ou formação), não com o objetivo de apresentar aulas e/ou atividades prontas, mas, sim, apresentar a experiência de trabalho dos profissionais envolvidos e tornar-se um manual prático e dinâmico repleto de possibilidades para quem trabalha com aulas para o ensino da arte. Quantos filmes você já assistiu na televisão, no cinema, na internet? Quantas vezes você já criticou algum filme após assistir? Quantos filmes que você assistiu ou criticou levaram você a pensar que muita gente deveria ver aquele filme? E… Como fazer isso? Partindo dessas reflexões é que surgiu a ideia deste livro. Oriundo de uma lista de filmes disponível na Revista Digital Art& – http://www.revista.art.br/filmes-lista.htm – que foi feita com a ideia de ajudar professores a encontrar a temática mais adequada para suas propostas de trabalho, e ajudar a contextualizar as propostas de uso dos filmes como ferramentas. A escola e a sala de aula são espaços de comunicação e educação, de diálogo, onde ocorrem embates e enfrentamentos culturais; assim escola e sala de aula na sociedade contemporânea podem ser quaisquer espaços onde se desenvolvem dinâmicas interativas de ensino-aprendizagem, criação, fruição estética e consumo artístico.”

Os autores

Autor(es)
Ano 2012
Tipo Capítulo de Livro
Publicação Usando filmes nas aulas de arte
Páginas 151-175
Editora Editiora CRV
Local Curitiba
Ed/Org Jurema Sampaio
Idioma Português
Link Ver Link