Indisciplinar a Geometria: O saber geométrico e a geometria como saber

Resumo

O presente documento configura-se sob a forma de um ensaio sobre a atual condição da geometria na escola. Ensaio que se desenvolve sob a perspetiva de que as circunstâncias que determinam a forma como a geometria se situa na escola, e fora dela, resultam desta ter sido gradualmente submetida a processos de universalização que a filtraram, polinizaram e disciplinaram. Isto, para que pudesse ser apresentada e distribuída às populações, na proporção estritamente necessária à formação de quadros técnicos, indispensáveis à concretização de um determinado ideal de sociedade.

Do mesmo modo, o saber geométrico, expressão subsidiária dos desígnios da mais original e rudimentar geometria, foi ao longo dos tempos domesticado, categorizado e posto ao serviço de representações sociais. Assim, partindo do esboço de uma sua diagnose, é empreendido um esclarecimento de como a geometria como saber se instituiu, e se continua hoje a travestir quase exclusivamente como instrumento axiomático de preceitos utilitaristas.

Ano 2011
Tipo Tese
Instituição Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto e Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto
Grau Mestrado
Orientador(es) Catarina Sofia Silva Martins
Idioma Português
Área Educação Artística, Geometria, Desenho