Heterarquia e Marginalidade

RESUMO

A partir da experiência desenhada, focada na
relação entre a arquitetura como Praxis e a sua
visão ficcionada Poiesis, surge a necessidade de
abordar os seguintes conceitos: topografias híbridas;
heterarquia; macroscopias.
Sendo o desenho o recurso de mediação
entre o operativo e o especulativo – circunstanciado
no imaginário ou mesmo na sua relação
propositiva – que recorre aos conceitos
enunciados, com o fenómeno exterior a ele
próprio onde a ação de escavar no desenho
pressupõe subtrações matéricas (grafite) ao
suporte papel, uma espécie reconstrução, uma
ação arqueológica sobre o desenho artefacto
que se descobre pelo movimento circunstanciado
do momento anterior, ”para encontrar o
assombroso inimaginável” (Seguí, 2017).
Surgem assim topografias híbridas, uma
colisão entre dois campos – artificial versus natural
– que resulta num cruzamento entre duas
realidades distintas que estabelecem relações
entre si e ampliam novas visões cartográficas,
per si transformadoras da própria ideia arquitetónica.
O tipo de argumento que se tenta suster
e incorporar neste sistema é baseado num
estado de liberdade e de resistência, traduzido
numa condição de luta e de reivindicação desenhada.
Esta mediação explora não só o caráter
marginal do capricho, como permite redescobrir
uma lógica de pensamento baseado numa
relação tensa entre dicotomias – justaposição/
oposição, estático/dinâmico, claro/escuro, regular/
irregular.Associado a um sistema ausente de qualquer
centralização e de verticalidade, o plano
de heterarquia serve para compreender e suportar
teorias sobre o espaço e as relações em
rede. Funciona como um campo de conectividade
unificado, onde as estruturas permitem
a morfose de novos estratos e espaços com
novas espessuras e é a partir de complexas
interações espaciais e de articulação de diferentes
escalas que as lógicas e a produção
do espaço desenhado se alteram e produzem
novos significados.
Traduz-se numa arquitetura que não
existe, na dimensão de uma macroscopia onde
apenas se vislumbra o desenho de manifestação sinóptica do instrumento ampliador ou
redutor e, numa paisagem evocativa da construção
de desenhos em pura especulação.

Palavras-chave: topografias híbridas; heterarquia; macroscopias

Autores:

Telmo Castro –1

Paulo Luís Almeida –2

Ano 2017
Tipo Publicação em Actas
Publicação 16º Encontro Internacional de Arte e Tecnologia: #16.ART: Artis intelligentia: IMAGINAR O REAL
Páginas 884-892
Editora i2ADS
Local Porto
ISBN / ISSN ISBN: 978-989-99839-3-9 ISBN eletrónico: 978-989-99839-5-3
Idioma Português
Link Ver Link
PDF