Educação Visual e Tecnológica: (des)integração curricular.

Resumo:

O presente artigo propõe pensar a Educação Artística, em particular na área das Artes Visuais e Plásticas, no currículo escolar do 2º ciclo do ensino básico em Portugal, num momento de alterações protagonizadas pelo governo de Portugal através da revisão da estrutura curricular.

Desde 1991 que a disciplina de Educação Visual e Tecnológica tem ocupado esse espaço, apontando para uma abordagem integrada dos aspectos visuais e tecnológicos dentro de uma área pluridisciplinar de Educação Artística e Tecnológica, situando-se numa perspectiva transdisciplinar conducente ao nível etário a que se destina.

Vinte anos depois, procura-se perceber o caminho traçado por esta disciplina, as suas implicações no desenvolvimento das aprendizagens dos alunos, a formação de professores nesta área específica, bem como a integração dos novos modelos e concepções da educação artística, por forma a encontrar fundamentos e avaliar a necessidade de uma revisão na estrutura curricular para esta área.

O artigo agora apresentado é uma actualização do texto escrito para o II Encontro Internacional sobre Educação Artística, que aconteceu no Porto em Abril de 2012. Pretende-se estender uma discussão pertinente e actual ao universo académico e de investigação, implicando-nos a todos, enquanto agentes da educação, nos processos de decisões politica que têm impacto directo nas salas de aula e nas práticas dos professores.

 

Palavras-chave:

Educação Artística; Educação Visual e Tecnológica; Currículo; Integração.

Ano 2012
Tipo Publicação em Actas
Publicação II Encontro Internacional sobre Educação Artística (2EI_EA)
Páginas 107-112
Editora i2ADS – Instituto de Investigação em Arte, Design e Sociedade
Local Porto, Portugal
Ed/Org Comissão Organizadora do 2EI_EA
ISBN / ISSN 978-989-97856-4-9
Idioma Português
Link Ver Link