Eça, T. T. (2014). Submergir-se: incorporar espaços (in)habitáveis.

RESUMO 

Este texto relata alguns projetos de investigação colaborativa nos quais se trabalhou mais a partir de conceitos do que de métodos. Partimos da questão de espaços de fronteira, entre-lugares onde a arte educação pode invocar a sua hibridez. Descrevemos estratégias da performance artística como pedagogia em espaços de construção colaborativa de aprendizagem para invocar atitudes que possam levar à provocação da visibilidade de uma arte educação comprometida com o mundo real. Falaremos de ações desenvolvidas com vários professores, em contextos de educação formal e não formal, no Brasil e em Portugal e da necessidade de trabalhar em rede e de utilizar as potencialidades que as tecnologias da comunicação oferecem.

PALAVRAS-CHAVE: 

investigação-colaborativa; arte educação; ativismo; educação expandida

ABSTRACT 

This paper reports some collaborative research projects that were based more on concepts than on methods. The starting point was the question of boundary places, the in-between places where art education can call on its hybridity. We describe strategies of artistic performance, as the pedagogy in places of collaborative construction of learning, in order to call on attitudes that may lead to provocation of visibility of an art education committed to the real world. We will talk about actions developed with a number of teachers, in contexts of formal and non-formal education, in Brazil and in Portugal, the need to work in network and to use the potential that technologies of communication offer.

KEYWORDS 

collaborative research; art education; activism; expanded education

Autor(es)
Ano 2014
Tipo Artigo de opinião em jornal, Artigo electrónico
Publicação Revista GEARTE, Vol. 1, Nº 1, Abril/2014
Páginas 58-71
Local Rio Grande do Sul
ISBN / ISSN ISSN 2357-9854
Idioma Português
Link Ver Link