Desenho Protocolar – Inscrevendo a acção, a partir de Günter Brus

Este texto constitui uma aproximação, necessariamente parcial, aos desenhos que se assumem como protocolos. Protocolo, para além da sua aceção social e computacional, é uma expressão que ativa um espaço paradoxal e heterogéneo na relação que o desenho estabelece com um contexto performativo. O nome refere-se indistintamente às instruções visuais que formalizam a ligação entre o artista e o executante ; aos modelos de uma ação ; ao desenho como catalisador de possibilidades ; como estratégia psicológica na manipulação de comportamentos ; mas também às descrições do processo de resolução criativa de um problema .

Nas suas diversas formas, o aparecimento espontâneo do nome, frequentemente diluído em textos avulsos, transporta para o desenho o sentido comum do registo de um ato público, mas também o conjunto de indicações que precedem e ativam esse ato: este caráter proto-performativo é manifesto na sua própria etimologia, como primeira folha colada num documento (proto=primeiro + kollos=cola).
‘Protocolo’ é pois o nome que qualifica este espaço do desenho que antecipa, instiga ou orienta uma ação performativa, e que frequentemente se confunde com ela nas suas razões de atuar.
Ao pretendermos explorar a fundo esta dinâmica protocolar, queremos focar as estratégias pelas quais o desenho inscreve a ação, como imagem e como ato, num espaço virtual, mas também como constrói o elemento impressivo capaz de ativar uma resposta que já não é contemplativa, mas acional.
A aproximação a um espaço tão heterogéneo não pode ser feita senão de forma casuística, construída ou adaptada à singularidade de cada objeto. Também por isso, esta abordagem inicia-se num grupo concreto de desenhos de Günter Brus, tomados como partituras de ações nunca realizadas, inseparáveis da prática performativa que as molda e que é por elas moldada.

(…)

Ano 2013
Tipo Artigo de opinião em jornal, Artigo electrónico
Publicação Psiax, série II: 2
Editora Escola de Arquitectura da Universidade do Minho, Faculdade de Arquitectura e i2ADS/Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto
Local Porto
Ed/Org Lopes, José Maria; Duarte, Miguel Bandeira; Silva, Vítor