Biomecânica da articulação temporomandibular numa população de cantores

RESUMO

Introdução

A prática de uma atividade a nível das artes do espetáculo, como o canto, requer qualidades técnicas, físicas e psíquicas que determinam a produtividade do cantor e a sua performance musical. O canto poderá conduzir ao desenvolvimento de patologias, nomeadamente ao nível da articulação temporomandibular (ATM), nos profissionais que se dedicam a esta arte.

Objetivo

Determinar se o canto profissional conduz a alterações da biomecânica da articulação temporomandibular, como distúrbios temporomandibulares e/ou hipermobilidade condilar.

Métodos

A população deste estudo foi constituída por 36 indivíduos, 18 cantores profissionais (grupo de estudo) e 18 do grupo de controlo. O diagnóstico de distúrbios temporomandibulares foi efetuado através do Research Diagnostic Criteria for Temporomandibular Disorders. O diagnóstico de hipermobilidade condilar foi efetuado através da história e do exame clínico e corroborado pela eletrossonografia e estudo radiográfico das articulações temporomandibulares. A análise estatística foi realizada com técnicas que se consideraram mais adequadas para as variáveis envolvidas, nomeadamente os testes de Qui-quadrado, McNemar e de correlação.

Resultados

No grupo de estudo, 27,8% dos indivíduos apresentam algum tipo de distúrbio temporomandibular, enquanto no grupo controlo essa frequência foi de 16,7%. A hipermobilidade articular teve uma frequência de 50% no grupo controlo e de 77,8% no grupo de estudo. Não houve diferenças estatisticamente significativas (p > 0,05).

Conclusão

Este estudo sugere que a atividade de cantar, a nível profissional, não constitui um fator de risco para o aparecimento de distúrbios temporomandibulares e/ou de hipermobilidade articular.

Palavras-chave: Hipermobilidade articular, Articulação temporomandibular, Distúrbios temporomandibulares

 

Autores: Fabiana Almeida, João Carlos Pinho, Daniela Coimbra, Miguel Pais Clemente, Nuno Santos

Autor(es)
Ano 2013
Tipo Artigo em jornal com revisão por pares
Publicação Revista Portuguesa de Estomatologia, Medicina Dentária e Cirurgia Maxilofacial, 54(3)
Páginas 131–136
Idioma English
Link Ver Link
PDF