As narrativas do génio e da salvação: a invenção do olhar e a fabricação da mão na Educação e no Ensino das Artes Visuais em Portugal (de finais de XVIII à primeira metade do século XX) – i2ADS

As narrativas do génio e da salvação: a invenção do olhar e a fabricação da mão na Educação e no Ensino das Artes Visuais em Portugal (de finais de XVIII à primeira metade do século XX)

As narrativas do génio e da salvação: a invenção do olhar e a fabricação da mão na Educação e no Ensino das Artes Visuais em Portugal (de finais de XVIII à primeira metade do século XX) configura-se como uma história do presente. A possibilidade que aqui se abre de traçar uma genealogia e uma arqueologia do nosso próprio pensamento acerca da ‘necessidade’ das artes na educação é a de desnaturalizarmos a evidência dessa mesma necessidade. A tese articula-se em torno de problemas específicos que encontram nas questões do autor e do génio, das narrativas de salvação e das tecnologias morais e disciplinares associadas ao ensino das artes visuais, – particularmente do desenho -, as linhas para a configuração de dispositivos de fabricação de determinados tipos de sujeitos. No longo arco temporal que nesta investigação é percorrido acedemos aos modos através dos quais se tornaram possíveis as nossas próprias formas de ser, de ver, de pensar, de agir e de sentir. É na historicização dessas ‘grelhas’ de pensamento que se tornam visíveis as condições que governam o presente. Imaginar outros devires para a educação e o ensino das artes passa, assim, por um profundo conhecimento do nosso próprio ‘arquivo’ discursivo e de nós próprios enquanto sujeitos cujo ‘eu’ se inventou na modernidade.

Autor(es)
Ano 2012
Tipo Tese
Instituição Instituto da Educação - Universidade de Lisboa
Grau Doutoramento
Orientador(es) Jorge Ramos do Ó
Idioma português
Área Educação; História da Educação; Educação e Ensino Artístico