A Dimensão Performativa da Prática Pictórica – Transferências de Uso entre Campos Performativos

Esta tese constitui uma aproximação metodológica ao estudo da relação entre a prática pictórica e processos performativos.

A primeira parte consiste em contrastar os modelos de emergência do performativo na prática pictórica, e rastrear as implicações ontológicas e processuais que essa emergência criou. Propõem-se três modelos: o linguístico, baseado na teoria dos actos de linguagem e manifesto nas listas de verbos realizadas pelos artistas como espaços proto-performativos; o somático, que enquadra o uso fíctício de imagens do corpo como substitutos biográficos do artista;  e as transferências de uso, que designam o redireccionamento e a substituição do acto performativo na duração de um processo. Este processo supõe a migração do acto para fora do seu contexto tecnológico, social e semiótico, de forma a albergar outros conteúdos e desempenhar outras funções.

A segunda parte analisa, a partir dos estudos performativos e da semiótica experimental, os mecanismos de transferência de uso, quando estes se manifestam nas práticas pictóricas. Mostra-se que estes mecanismos son o principal sintoma da dimensão performativa do pictórico, mas também, e principalmente, um mecanismo creativo pelo qual os processos pictóricos emprestam ou adoptam padrões de outros processos, substituindo-os nos seus próprios meios e suportes.

Ano 2009
Tipo Tese
Instituição Facultad de Bellas Artes de la Universidad del País Vasco, Bilbao
Grau Doutoramento
Orientador(es) Julián Irujo Andueza
Idioma Espanhol/Spanish
Área Desenho, Estudos Performativos