A Condição Contemporânea da Arte e do seu Ensino na Escola: Notas sobre Arte, Educação, Política, Cultura e Sociedade

Resumo

O presente relatório associa-se ao estágio pedagógico decorrido no ano lectivo de 2011/2012 na Escola Secundária Filipa de Vilhena, no Porto. O seu corpo teórico, reflexivo, crítico e discursivo procura tomar a experiência particular de estágio para dela proceder a uma observação e problematização maior sobre múltiplas questões que se inserem no núcleo epistemológico das práticas da educação, do ensino e da aprendizagem, definindo um sentido de texto que não procura corresponder literalmente a um acto narrativo de descrição, de exposição discursiva que relata sobre um tempo ou sobre uma(s) prática(s), nem se define como comentário objectivo sobre a vivência cronológica e espacial, física e intelectual, das práticas pedagógicas e didácticas observadas ou experimentadas no contexto das disciplinas acompanhadas.

Da presença assídua nas aulas de Educação Visual, Desenho e Oficina de Artes, procurei estruturar uma reflexão particular em torno de duas grandes questões: a primeira, assente na análise do que denomino de a condição contemporânea do ensino e da educação, onde atento sobre os princípios ideológicos que parecerem afectar o desenho da morfologia curricular, didáctica e pedagógica do ensino formal pelas presentes políticas educativas, e a segunda, assente na análise do que denomino de a condição contemporânea do ensino artístico onde à reflexão sobre a relação entre o sentido e o alcance das práticas artísticas contemporâneas e a expressão curricular e didáctica das práticas educativas do ensino artístico, se procura experimentar o ensaio sobre um possível modelo, antes, um corpo pedagógico que estruture e situe o significado da produção estética no espaço do ensino e da aprendizagem da educação artística nos princípios intelectuais, políticos, filosóficos, poéticos e estéticos do núcleo epistemológico, metodológico e simbólico das práticas artísticas na contemporaneidade do seu pensamento, discurso crítico e realização estética.

Situarei, assim, o presente texto como mapa, como percurso que explora o complexo exercício de pensar e falar sobre a educação e sobre o ensino, sobretudo, quando esta professora, então estagiária, assim aluna, intersecta a experiência de estágio, a breve experiência pessoal de docência em ensino das artes visuais e a leitura e análise crítica de múltiplos autores convocados, para experimentar construir um exercício de reflexão que confronta, em síntese, teoria e prática, discurso e acção, propondo o pensamento crítico, o compromisso ético e o diálogo como domínios fundamentais que se aproximam das premissas democráticas para a educação e para a formação de conhecimento – politicamente simbólicos pela introdução das categorias do diálogo, da partilha e da discussão que interferem e fazem resistir na estrutura ideológica do poder dominante e da sua expressão monolítica, monológica e controladora.

Autor(es)
Ano 2012
Tipo Tese
Instituição Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto e Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto
Grau Mestrado
Orientador(es) Professor Doutor José Carlos de Paiva
Idioma Português
Área Educação Artística, Ciências da Educação