A cidade de Vidro — uma casa comercial de Fotografia em Guimarães

Texto publicado no catálogo da primeira exposição do projecto Reimaginar Guimarães onde se apresentou uma selecção de fotografias de espaço público ou semi-público de Guimarães provenientes da Colecção de Fotografia da Muralha.

Excerto:
“A partir da segunda metade do século xix e no decorrer do século xx, a relação entre a prosperidade técnica do meio fotográfico e a crescente expansão urbana dos grandes centros, fomenta a produção de espólios fotográficos diversos, que oscilam entre a vontade pública de sistematizar e apropriar o território e o registo subjectivo e autoral desse mesmo território. A Mission Heliographique e as suas posteriores reactivações, as diligentes expedições a territórios distantes ou as deambulações fotográficas realizadas por Eugène Atget (1857-1927), Alvin Langdon Coburn (1882-1966), Bill Brandt (1898-1991), Brassaï (1899-1984) ou William Klein (n. 1928), enunciam propostas emblemáticas de documentar a cidade e sobretudo de perceber o seu desenvolvimento e transformação. (…) Para a historiografia de uma cidade a existência e exposição destes prodigiosos inventários, constituem um importante e imprevisível legado visual, centrado no registo do quotidiano e no olhar privado sobre a cidade, que reinventa e pormenoriza uma leitura sobre o seu passado mais recente. Para a historiografia fotográfica, por outro lado, essa pluralidade é determinante para uma reflexão sobre a caracterização e classificação do próprio arquivo, permitindo transferir as indefinições epistemológicas da disciplina para o espaço da teoria e, em certo sentido, da invenção.”

Ano 2011
Tipo Capítulo de Livro, Texto em catálogo
Publicação A Cidade da Muralha — Fotografias da Colecção de Fotografia da Muralha
Páginas p. 26-45
Editora Fundação Cidade de Guimarães
Local Guimarães
ISBN / ISSN 978-989-97607-0-7
Idioma PT/ EN
Link Ver Link