Identidades e Interculturalidade, plataforma de acção/investigação

Esta ‘plataforma’ nasce como um projecto de investigação resultante de um movimento intercultural promovido por um grupo de artistas, professores e estudantes, denominado Identidades, no sentido de problematizar a complexidade relacional que o espaço intercultural contém. O ‘movimento intercultural IDENTIDADES’ (http://identidades.up.pt/) desenvolve, desde 1996, um relacionamento artístico, alargado para Moçambique, Cabo Verde, Brasil e Portugal. Este movimento comportou a produção de oficinas, partilha de formação, intervenções de arte pública e encontros de reflexão e disseminação pública dessas acções. A partir destas actividades estabeleceram-se relações de parceria e cumplicidade em instituições como o ISArC e a ENAV em Maputo, a M_EIA no Mindelo, a AQCC em Conceição das Crioulas.

A dimensão dos problemas encontrados nos eventos realizados, de deslocação dos participantes de si, foram gerando a necessidade de organização de um espaço de acção/investigação, que corresponde ao prolongar da investigação já realizada pelos seus integrantes no âmbito do i2ADS.

Entende-se assim, ser tempo de instituir uma ‘plataforma de investigação’ que sustente o acompanhamento sistemático e organizado, dos interesses na produção de um conhecimento partilhado sobre as questões imanentes da própria acção a desenvolver. Nesta plataforma serão alojadas dinâmicas de investigação, decorrentes do interesse desperto em grupos de trabalho, estruturadas em ‘projectos de acção/investigação’, em ‘eixos de investigação’ com dinâmicas diversificadas, e em ligação ao desenvolvimento de elaboração de estudos que conduzam à produção de ‘dissertações de mestrado’ e de ‘teses de doutoramento”, realizada em ligação directa a cursos de 2CE e de 3CE da Universdade do Porto.

  • Entender a complexidade epistemológica inerente ao estabelecimento de ‘eventos interculturais’, à margem do sentido colonial e do que a cultura hegemônica eurocêntrica comporta;
  • Problematizar a presença histórica dos processos continuados de discriminação, como de género e de raça, transportados para a acção intercultural;
  • Problematizar a dificuldade de incorporar o silêncio numa entrega à escuta atenta dos parceiros e cúmplices do movimento intercultural;
  • Incorporar a compreensão das demandas políticas das comunidades históricamente descriminadas e suas aspirações;
  • Problematizar a imprescindibilidade da emancipação nos processos de construção das identidades;
  • Procurar conhecer e incorporar outras dinâmicas e práticas experienciais de arte e pensamento impregnadas de um esforço político de encontrar autenticidade e clarividência social a partir das vozes o Sul.

Coordenador(es) de Projeto José Carlos de Paiva
Data de Início - Fim 2018-04
Hub de Investigação Interculturalidade e Sociedade