Design, Tecnologia e Sociedade

Este projecto surge da necessidade de articular a investigação com as diversas acções no campo do Design dentro do i2ADS e da FBAUP. Surge também da necessidade de consolidar a investigação em Design a partir das relações do i2ADS/FABUP dentro da Universidade do Porto, como por exemplo o Media Innovation Labs (MIL) e o Coding for Social Impact (CSI). Neste sentido, pretende-se dar autonomia à investigação no campo do Design, reforçando a reflexão teórica e articular a transversalidade já existente através das seguintes linhas temáticas:

a) Design de Interfaces e desenvolvimento de plataformas e repositórios digitais.

O contexto de investigação em arte, design e sociedade é, para além de transversal, sobretudo, um assunto de investigação que pode ser problematizado do ponto de vista teórico-prático, aproveitando as diversas actividades do i2ADS e da FBAUP. Ou seja, se por um lado, os projectos necessitam de, por exemplo, plataformas audiovisuais específicas que exigem abordagens diferentes da tradicional gestão de conteúdos, por outro lado, os contextos de arte e design têm uma responsabilidade na prática, na investigação e na inovação dessas mesmas abordagens. Para estabelecer a problemática devida, mais do que necessidade, deveríamos falar de uma singular prática e reflexão no contexto de arte e design com as plataformas electrónicas e respectivas interfaces.

b) Investigação e Desenvolvimento Multimédia com foco na Acessibilidade, Inclusão Social e Acesso livre.

A preocupação com a Acessibilidade, Inclusão Social e Acesso livre no campo do Design não se pode esgotar na adaptabilidade dos objectos aos excluídos. É o plano da exclusão que deve ser problematizado na construção dos objectos. São também as contradições do Universalismo que devem ser levantadas denunciando a própria cumplicidade do Design na exclusão. Fundamentalmente, é na escuta do Outro, num envolvimento verdadeiramente participado na Investigação em Design, na qual a sua voz e a sua acção pode configurar novos mundos. Como base dessa possibilidade está o acesso aberto e livre, pois é nessa perspectiva sobre a informação que se deve alicerçar a investigação colaborativa. Para além de uma linha de investigação trata-se de uma preocupação e posicionamento político que se pretende alargar a todos os projectos do i2ADS.

c) Investigação e Desenvolvimento no campo alargado da Imagem e da Ilustração.

No espaço formativo da FBAUP e no âmbito de outros projectos do i2ADS, encontramos diversas actividades e interesses no campo alargado da imagem e da ilustração. No entanto, essa dinâmica ocorre normalmente num plano individual e dispersa. A dinamização por parte de estudantes, professores e investigadores deve ser organizada e sistematizada com a investigação como eixo fundamental. Pretende-se com esta linha potenciar a investigação nesta área de modo participado e colaborativo, com particular foco na integração de jovens investigadores em projectos I&D. É através de um olhar crítico e contemporâneo que uma geração se constrói descobrindo os seus temas, configurando a sua cultura visual rompendo com os paternalismos instituídos. O grande objectivo desta linha é abrir o espaço de investigação alargado da imagem e da ilustração, para que seja ocupado e transformado pelas novas gerações, deslocando-as do papel do consumo para o plano da acção.

d) Investigação e Desenvolvimento em Tecnologias 3D.

Apesar de se considerar uma área emergente há que reconhecer uma acção incipiente e dispersa, não só no i2ADS e FBAUP, mas na Universidade do Porto. A recente criação do MIL permitirá maiores sinergias dentro da UP e terá o i2ADS/FBAUP como referência nesta tecnologia. Neste sentido, esta linha poderá, em primeiro lugar, alimentar as outras linhas e articular-se com as dinâmicas da UP.

e) Investigação e produção teórico-crítica em Tecnologia, Comunicação, Media e Sociedade.

Numa cultura dominada pelo cyberfordismo as escolas são um dos cúmplices na construção desta sociedade em que o meio é a mensagem. Essa cumplicidade configurou a educação e a investigação numa preparação dos estudantes para um mercado, em que as competências técnicas são o grande objectivo relegando o plano teórico-crítico para segundo plano. Na dimensão concreta do Design há uma grande tendência para que a investigação se situe no âmbito da investigação aplicada, muitas vezes confundida na prestação de serviços de design ou com produções autorais. Esta dinâmica retira espaço para investigações mais profundas baseadas na prática do Design: na articulação dos seus processos com a tecnologia; nas problemáticas transversais da comunicação; nas especificidades metodológicas na manipulação dos media; nas consequentes relações entre Design e sociedade. Sobretudo, esta dinâmica tem suprimido a reflexão teórico-crítica que estes eixos exigem e impede novas perspetivas de configuração da investigação neste campo. Com esta linha de investigação pretende-se um olhar para o interior das actividades do i2ADS/FBAUP, com particular foco nas actividades deste mesmo projecto, que permita um esclarecimento do campo de Investigação em Design. Num outro sentido, pretende agregar investigadores que trabalham neste âmbito, potenciar sinergias e alargar este campo de investigação.