Desenhar entre Fronteiras na Universidade: Aprendizagem, Investigação e Comunicação pelo Desenho na Universidade

O projeto pretende realizar um estudo longitudinal sobre o uso do desenho no âmbito da Universidade, para desenvolver novas estratégias de ensino e competências de investigação baseadas no desenho no Ensino Superior. DRAWinU tem o seu foco no impacto educativo, na promoção do pensamento criativo, no pensamento visual, do projeto e da disseminação do conhecimento através do desenho. O quadro deste estudo são as unidades de investigação e salas de aula de Faculdades da Universidade do Porto (UP). A UP proporciona um contexto em que o desenho pode ser abordado num quadro de referência comum em que a Ciência, Tecnologia, Engenharia, Matemática (STEM) e Arte coexistem: ao confrontar assuas diferenças, podemos compreender as suas dinâmicas comuns.

É geralmente aceite que a prática do desenho produz circuitos cruzados entre perceção ativa, cognição e criatividade, tendo um papel constitutivo na produção do conhecimento. Nos últimos anos têm aumentado as investigações baseadas em desenho, focadas em novas abordagens para integrar o desenho nos currículos do ensino universitário, como meio de potenciar a literacia geral, participar na resolução de problemas e nos processos de observação e descoberta no âmbito das áreas STEM. Esta tendência acompanha acrescente consciência do impacto das práticas artísticas e do desenho na viragem educativa das áreas STEM, complementando o conhecimento adquirido por outros meios imagéticos, numéricos e textuais.

Contudo, não se conhece um estudo longitudinal sobre o impacto experiencial do desenho no contexto da Universidade Portuguesa, que reúna as diferentes perspetivas de quem usa o desenho fora das áreas criativas a que está normalmente associado. Desta lacuna resulta uma incerteza relativa às abordagens que podem ser mais efetivas para métodos baseados no desenho aplicados à investigação e aprendizagem.

O grupo é composto por artistas, investigadores e professores na área do desenho. O seu objetivo comum é promover estratégias investigativas pelo desenho na arte e ciência, procurando ultrapassar as barreiras que definem as duas culturas na Universidade. É apoiado por uma rede de consultores nas áreas de incidência do estudo. O projeto está dividido em três partes:

A primeira parte consiste no levantamento e documentação de atividades de desenhado realizadas na aprendizagem e investigação na Universidade. Tem por base a observação em aula e unidades de I&D e o registo de entrevistas, resultante numa seleção de dados feita em colaboração com os consultores das áreas estudadas. Esta inventariação está ligada à perceção com que os informantes consideram a sua experiência de desenho na relação com o conteúdo do conhecimento. O núcleo deste reconhecimento é constituído pela Faculdade de Desporto (FADEUP), os Departamentos de Mecânica e Engenharia Civil (FEUP), Ciências Naturais e Matemática (FCUP), áreas de Microbiologia e Microscopia (ICBAS), Arqueologia, Cartografia e Geografia (FLUP) e Ciências da Saúde (I3S).

A segunda parte está focada na investigação baseada na prática artística realizada pelos artistas investigadores no âmbito do projeto. O seu propósito é confrontar o espaço conjetural da arte e da ciência através do desenho e abordar experiencialmente os meios especulativos destas duas formas de conhecimento. Este componente é orientado em dois sentidos:

— Criação de Laboratórios de Desenho baseados nos conteúdos visuais e espaciais das áreas STEM, para desenvolver novas abordagens reflexivas pelo desenho, capazes de afetar positivamente os resultados de aprendizagem;

— Desenvolvimento de atividades de investigação em desenho entre Arte e STEM. Seja recorrendo a métodos científicos ou à epistemologia da ciência, seja porque se investigam fenómenos não restringidos a uma disciplina científica específica, desenhar entre a Arte e STEM (STEAM) pode gerar novas formas de pesquisa com o objetivo de promover práticas artísticas que revertam novos métodos de volta aos processos STEM.

A terceira parte analisa os processos de pensamento e comunicação subjacentes à abordagem do desenho aos conteúdos visuais, espaciais e temporais em áreas STEM. Recorrendo a uma abordagem regressiva irá analisar como o desenho lida com conhecimentos complexos e gera um envolvimento ativo com o conteúdo científico. Esta abordagem é enquadrada pela investigação baseada na prática do desenho, por métodos participativos visuais, psicologia da perceção e estudos gestuais.

Enquanto método participativo, o desenho encoraja a construção colaborativa do sentido onde o contexto do desenhador é revelado pelo que é desenhado, como é desenhado e pelo que o desenho significa no seu meio. O horizonte desta fase é o conhecimento disseminado das diferentes apreensões do desenho, no cruzamento com outras formas de transmissão de conhecimento não reproduzível como gestos, explicações orais ou demonstrações físicas.

Coordenador(es) de Projeto Mário Bismarck (IR), Paulo Luís Almeida (Co-IR)
Data de Início - Fim 2021-10 / 2023-09