A Escultura, a Arqueologia e a Engenharia Inversa numa perspectiva multisensorial

Resumo

O trabalho decorre de estudos já anteriormente desenvolvidos por nós no campo da arqueologia. Este interesse aliado à nossa formação e experiência em escultura, permitiu-nos fazer avançar um projecto, tendo como base as seguintes grandes áreas de análise: a relação entre as artes e a ciência; a arqueologia e os seus pontos comuns com a escultura; a escultura e os novos sistemas de representação visual digital; e a materialidade em escultura versus a imaterialidade e a escultura sensorial.

Neste plano teórico, desenvolvemos um trabalho que pretendeu perceber e determinar alguns indicadores que permitissem potenciar a relação sensorial entre a obra e aquele que a observa ou o fruidor da mesma. A utilização de tecnologias de modelação do virtual foi o meio escolhido para, no plano prático, desenvolver pesquisa que permitisse uma maior interacção entre todos estes elementos, desde a concepção da obra até à sua exposição final. Esta investigação possui duas vertentes: uma primeira de investigação em atelier e uma posterior em ambiente digital. Estas duas vertentes permitiram demonstrar que as tecnologias podem ser potenciadoras dos sentidos na escultura.

Palavras chave: Arqueologia, Engenharia Inversa, Sensorial, Digitalização, Voxel, Materialidade.

Abstract

This investigation elapses from studies previously developed by us in the field of archaeology. Our interest along with our background and experience, allowed us to develop a study based on the following areas of analysis: relationship between arts and science; archaeology and its touch points with sculpture; sculpture and new digital visual representation systems; material versus immaterial in sculpture and the senses in sculpture.

Within this theoretical context, this investigation had as a main aim to determine the main features to empower the relationship between the sculptor and the one who observes the piece. Virtual moulding technologies were used in order to develop the empirical work and to enable a stronger interaction between those two subjects from the elaboration process until the final exhibit. The two working environments, studio and virtual, allowed us to show that technologies can empower the use of senses in sculpture.

Key Words: Archaeology, Reverse Engineering, Senses, Digital, Voxel, Materiality.