L’APRÈS-MIDI, BOMBARDEMENT: UMA BREVE HISTÓRIA SOBRE A (RE)MEDIAÇÃO DA PAISAGEM

BLACK ARCHIVE
QUINTAS-FEIRAS NEGRAS | ARQUITECTURA E DESTRUIÇÃO

Organização: Revista PUNKTO
———————————————–
SESSÃO #03 | DILÚVIOS
Álvaro Domingues
Miguel Leal

Arquivo Vídeo da intervenção de Miguel Leal

LIVRARIA LEITURA-CEUTA| 20.10.2011
“No ano seiscentos da vida de Noé, no mês segundo, aos dezassete dias do mês, naquele mesmo dia se romperam todas as fontes do grande abismo, e as janelas dos céus se abriram. E houve chuva sobre a terra quarenta dias e quarenta noites” [Génesis 7]
A sessão 3 do ciclo ‘Quintas-Feiras Negras’, vai molhar os pés nas águas frias e tumultuosas dos dilúvios, com a presença do Professor Álvaro Domingues [FAUP] e do artista Miguel Leal [FBAUP].
Criação ou destruição? Vida ou morte? Há sempre uma serpente original e terrível que é preciso matar para que a civilização possa avançar, ou antes, para que possa sempre recomeçar. Será, como diz Hölderlin, que “onde está o perigo cresce também aquilo que salva”?

‘Destruição’, o tema do segundo número da Revista PUNKTO (lançado em Maio de 2012) é o mote para um ciclo de conversas, imagens e discussões que procuram desvelar a afinidade intempestiva que se opera entre arquitectura e destruição. Mas, se como diz Picasso, “qualquer acto de criação é, antes de mais, um acto de destruição”, então este é um ciclo sobre criação e produção arquitectónica, sobre o que significa fazer e construir, destruir e reconstruir, mas também sobre o que significa recordar e esquecer. E, por isso, ‘Construir’ e ‘Destruir’ serão mesmo actos opostos? Ou somente duas faces de um mesmo processo? E quando falamos de arquitectura, estamos afinal a falar de quê: de construção ou de destruição?

Autor(es)