SWEATBOX – Imagens para uma Estratégia Plural do Desenho e(m) Investigação, 14 Abril, FBAUP

SWEATBOX

IMAGENS PARA UMA ESTRATÉGIA PLURAL DO DESENHO EM INVESTIGAÇÃO

14 de Abril, Auditório do Pav. Sul, FBAUP
Instituto de Investigação em Arte, Design e Sociedade

Entrada livre

Este encontro explora a variedade de posições que concorrem para a formação de uma imagem coletiva dos usos do desenho no debate aberto pela relação entre arte e investigação. A partir de práticas artísticas, pedagógicas e científicas diversas, procura-se confrontar os novos ambientes onde os lugares tradicionais do ateliê ou estúdio se misturam com os cenários laboratoriais, pedagógicos, oficinais e sociais onde o desenho atua.

Nestes novos ambientes, o desenho surge como um sistema complexo que tende a convocar diferentes culturas e modos de produção de conhecimento na sua prática — da observação ativa à experiência exploratória, da figura ao diagrama, do regime visual ao gesto performativo, da ação reflexiva à narrativa. Mas sendo um sistema complexo, o desenho é também um sistema adaptativo, cujas estratégias de invenção e métodos de investigação respondem ativamente ao que de singular, qualitativo, particular e local ocorre nos contextos da sua prática.
São estes espaços subterrâneos — onde desenho e investigação se encontram em estratégias necessariamente plurais e multimodais — que se vão debater nos três momentos da Sweatbox:
– Desenhar entre Fronteiras
– Desenhar entre o Conflito e o Modelo
– Desenhar entre Factos e Ficções

Sweatbox é um método investigativo de registo do pensamento criativo.
Baseia-se num estúdio de vídeo encenado, usado para o registo em viva voz das reflexões e processos de decisão de artistas, designers e arquitetos.
Usado na investigação por projeto de forma a capturar a reflexão na ação — seja através da descrição do processo, seja pela partilha de pensamentos espontâneos, apoia-se na visualização de ideias através do desenho.
Sentado/a a uma mesa, cada artista/investigador desenha, comenta e mostra evidências das suas estratégias investigativas e criativas. Enquanto o faz, uma câmara grava as imagens que surgem sobre a mesa, enquanto um segundo ecrã fornece a projeção de informação  adicional.

PROGRAMA

[DOWNLOAD DO PROGRAMA E RESUMOS AQUI]

DESENHAR ENTRE FRONTEIRAS [10h00]

– A Câmara Clara: Velho & Novo Mídia? Pedro Maia (I2ADS/FBAUP)
– A Janela e a Arena: Algumas Considerações Sobre o Processo em Desenho — J.Jorge Marques (I2ADS/FBAUP)
– Arte e Ciência: Dois universos? — Cláudia Amandi (I2ADS/FBAUP)
– Quando o Cartaz Também é Projeto Sem Nome — Graciela Machado (I2ADS/FBAUP)

DESENHAR ENTRE O CONFLITO E O MODELO [14h00]

– Teoria e História do Desenho Para Quê? — Mário Bismarck (I2ADS/FBAUP)
– Um Projeto sobre Novas Práticas Metodológicas para o Ensino do Desenho — Susana Jorge (i2ADS/IPCA)
– O Desenho como Desejo: O Princípio do Prazer como Processo de Trabalho – Sílvia Simões (i2ADS/FBAUP)
– O Ensino de Desenho como Catalisador do Projeto — Micaela Reis (DEA/FBAUP)

DESENHAR ENTRE FACTOS E FICÇÕES [15h30]

– A Justaposição de Estilos em Banda Desenhada: a Relação Entre os Desenhos Exploratórios do Processo e a Construção Narrativa de um Romance Gráfico — Daniel Silvestre (I2ADS/DAD)
– A Importância da Representação Gráfica no Contexto da Investigação Criminal — Marina Vale Guedes (I2ADS/DAD)
– Imagens em Falta: O Desenho como Trabalho da Memória — Nuno Sousa (I2ADS/DEA)
– Testemunhas Apesar de Si: Desenho e Testemunho num Contexto Performativo — Paulo Luís Almeida (I2ADS/FBAUP)