SOMBRA CINECLUBE \ SESSÃO 3 \ CICLO CINEGROUND

Sombra Cineclube FBAUP convida para a 3ª sessão do Ciclo Cineground que irá decorrer hoje, segunda-feira, dia 28, pelas 21:00 horas, na aula Magna da Faculdade de Belas Artes.

Serão projectados os filmes “Aventuras e Desventuras de Julieta Pipi” e “Goodbye Chicago” da produtora Cineground.

\\\\

Aventuras e Desventuras de Julieta Pipi (1978, 44 min)

A sequência de abertura deste Aventuras e Desventuras de Julieta Pipi denuncia, desde logo, a temática do filme. Imagens de Los Angeles dos anos 70 e uma posterior descolagem do aeroporto de LAX, dão lugar à Portela, onde a actriz de renome internacional, Julieta Pipi (Belle Dominique), acaba de chegar a Lisboa.
Miss Pipi prepara‐se para uma tensa conferência de imprensa a ter lugar no seu palácio dos arredores da capital. Perante um questionário, por vezes político, outras intelectual, ou mesmo inquisitoriamente sexual, Pipi defende‐se, com sotaque italiano (influência do último filme que rodou, em Itália), a todas as provocações, contornando mesmo as impertinentes questões sobre a sua formação dramática.
Sempre com a conferência a dar o mote, o filme opera uma sequência de flashbacks, que nos dão a conhecer a sua obra e passadas glórias.

Goodbye Chicago (1978,16 min)

Última incursão de Óscar Alves no cinema, Good‐Bye, Chicago foi rodada com o propósito específico de abrir o espectáculo com o mesmo nome no Scarllaty Club, em 1978. Assim, o filme procura ficcionar aquelas que terão sido as peripécias ocorridas nas semanas anteriores e que deram lugar ao espectáculo a que agora o público iria assistir, ao vivo.

Filmes realizados por Óscar Alves

PROGRAMA

– 31 de Março –
“Solidão Povoada” e “Charme Indiscreto de Epifânia Sacadura”

– 7 de Abril –
“Fatucha Superstar” e Demónios da Liberdade”

– 21 de Abril –
“Aventuras e desventuras de Julieta Pipi” e Goodbye Chicago”

\\\\
Sobre a Cineground

Fundada logo após a Revolução de Abril, pela parceria Óscar Alves e João Paulo Ferreira, a Cineground (1975) foi um grupo que se caracterizou por fazer uma primeira tentativa de comercialização de filmes em Super8, em pequenas ‘salas de diversão’ em Portugal ( boîtes e clubes nocturnos). Esses seriam na época os locais de eleição para a divulgação desta cinematografia de carácter underground (na origem do nome da produtora) e também queer. Com escassos recursos de produção e uma equipa técnica reduzida, a Cineground logrou a criação de 9 títulos durante o seu curto tempo de actividade: O Charme Indiscreto de Epifânia Sacadura (1975), Solidão Povoada (1976), Fatucha Super Star – Ópera Rock…Bufa (1976), Os Demónios da Liberdade (1976), Goodbye Chicago (1978), As Aventuras e Desventuras de Julieta Pipi (1978) (conhecidos). Trauma (1976), Tempo Vazio (1977) e Ruínas (1978) da autoria de João Paulo Ferreira não existem em arquivo, crê-se que terão sido ‘oferecidos’ pelo autor à Cinemateca Russa (Fonte: Queer Lisboa).
Nos filmes encontramos representações de sexualidades, classificadas na década de 60/70 como ainda desviantes, e na linguagem empregue uma apropriação do ‘jargão’ e estereótipos negativos que lhes seriam atribuídos. Da mesma forma, a sátira aos falsos moralismos e a linguagem subliminar remetem-nos para as décadas antecedentes de repressão ditatorial e seus resquícios no imaginário dos portugueses. A ‘experiência do normativo’ terá agudizado a tendência do desviante, a resistência, e finalmente, liberdade conquistada na materialização destes registos. Os registos da Cineground são um exemplo em como a arte se pode tornar política. (Fonte: Mariana Gonçalves)

\\\\
Local: Aula Magna, FBAUP
Entrada livre