Sombra Cineclube \\\ Ciclo Cineground

Sombra Cineclube FBAUP convida para a 1ª sessão do Ciclo Cineground que irá decorrer na segunda-feira, dia 31, pelas 21:00 horas, na aula Magna da Faculdade de Belas Artes.

Serão projectados os filmes “Solidão povoada” e “Charme indiscreto de Epifânia Sacadura” da produtora Cineground.

\\\\
Solidão Povoada (1976, 44 min)

Primeira longa-metragem de Óscar Alves e o único filme da sua curta carreira como realizador que explora o registo do melodrama, não será ousadia afirmar que Solidão Povoada é herdeira de uma estética visual do Cinema Novo, cuja grande referência é o Verdes Anos (1963), de Paulo Rocha. Situado numa Lisboa pós 25 de Abril, que se quer cosmopolita, o filme retrata dois casais de classe média, interpretados por Domingos Oliveira, Carla Tuly, Fernando Silva e Isabel Wolmar. (fonte: Queer Lisboa)

Charme indiscreto de Epifânea Sacadura (1975, 27 min)

Esta primeira curta-metragem de Óscar Alves experimenta a lógica de estrutura narrativa em flashbacks e a temática que viriam a ser desenvolvidas no seu posterior Aventuras e Desventuras de Julieta Pipi, este último já com mais avançados meios. Filmado sem som e sem qualquer trilha sonora, recorrendo apenas aos intertítulos, para nos dar a conhecer os diálogos essenciais, o filme exige um ritmo e expressividade
maiores aos seus intervenientes, sendo que para tal, Alves recria uma estética expressionista do cinema mudo. O filme situa-nos desde logo no tempo e espaço da acção: estamos em 1930 no Chalé das Águas Correntes. (fonte: Queer Lisboa)

PROGRAMA

– 31 de Março –
“Solidão Povoada” e “Charme Indiscreto de Epifânia Sacadura”

– 7 de Abril –
“Fatucha Superstar” e Demónios da Liberdade”

– 21 de Abril –
“Aventuras e desventuras de Julieta Pipi” e Goodbye Chicago”

\\\\
Sobre a Cineground

Fundada logo após a Revolução de Abril, pela parceria Óscar Alves e João Paulo Ferreira, a Cineground (1975) foi um grupo que se caracterizou por fazer uma primeira tentativa de comercialização de filmes em Super8, em pequenas ‘salas de diversão’ em Portugal ( boîtes e clubes nocturnos). Esses seriam na época os locais de eleição para a divulgação desta cinematografia de carácter underground (na origem do nome da produtora) e também queer. Com escassos recursos de produção e uma equipa técnica reduzida, a Cineground logrou a criação de 9 títulos durante o seu curto tempo de actividade: O Charme Indiscreto de Epifânia Sacadura (1975), Solidão Povoada (1976), Fatucha Super Star – Ópera Rock…Bufa (1976), Os Demónios da Liberdade (1976), Goodbye Chicago (1978), As Aventuras e Desventuras de Julieta Pipi (1978) (conhecidos). Trauma (1976), Tempo Vazio (1977) e Ruínas (1978) da autoria de João Paulo Ferreira não existem em arquivo, crê-se que terão sido ‘oferecidos’ pelo autor à Cinemateca Russa (Fonte: Queer Lisboa).
Nos filmes encontramos representações de sexualidades, classificadas na década de 60/70 como ainda desviantes, e na linguagem empregue uma apropriação do ‘jargão’ e estereótipos negativos que lhes seriam atribuídos. Da mesma forma, a sátira aos falsos moralismos e a linguagem subliminar remetem-nos para as décadas antecedentes de repressão ditatorial e seus resquícios no imaginário dos portugueses. A ‘experiência do normativo’ terá agudizado a tendência do desviante, a resistência, e finalmente, liberdade conquistada na materialização destes registos. Os registos da Cineground são um exemplo em como a arte se pode tornar política. (Fonte: Mariana Gonçalves)

\\\\
Local: Aula Magna, FBAUP
Entrada livre