Leituras Feministas

Lançamento do grupo de estudo Leituras Feministas

Com Luísa Sequeira

5 Dezembro 2019, 18h às 20h30

Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, Aud. Pav. Sul

 

As metodologias feministas nas artes estão amplamente disseminadas, mas por vezes pouco reconhecidas pelo meio artístico, pouco estudadas nas instituições académicas e mesmo pouco conhecidas pelxs estudantes de práticas artísticas – nos 3 níveis de ensino. Temo-nos deparado na FBAUP e principalmente no centro de estudos i2ADS com um crescente interesse pelas teorias e metodologias feministas e queer. De forma a colmatar lacunas, ir ao encontro dos interesses dxs extudantes e investigadorxs, e relacionar os projetos artísticos e de investigação no i2ADS, FBAUP, e comunidade mais alargada, pretendemos iniciar um grupo aberto de estudo das questões de género nas artes.

Em debate estarão questões tão alargadas como: a visibilidade de práticas artísticas feministas, minoritárias e qual o impacto da recuperação dessas práticas no seio da história da arte; a diferença sexual racial e de classe como impulsionador da prática e leitura da arte e cultura, leituras feministas e pós-coloniais; as práticas no campo expandido, arte, performance, e vida, o pessoal é político; e finalmente práticas de cuidado, responsabilidade e responsabilização.

O grupo de estudo andará em torno da leitura e discussão de textos seminais, mas também da prática e ação enquanto produção de conhecimento. Assim, como lançamento deste grupo de estudo propomos a leitura de autorxs seminais como: Judith Butler, Silvia Federici, Paul B. Preciado, bell hook, Grada Kilomba, mas também o visionamento do filme, “Quem é Barbara Virginia?” de Luísa Sequeira, sobre a primeira mulher realizadora portuguesa no festival de Cannes. Este momento servirá também como um momento de convocatória mais alargada do grupo de estudo que pretende entender práticas artísticas, ativistas e culturais à luz da interseccionalidade e das teorias e metodologias feminista, esperando contribuir para o avanço das práticas artísticas e investigativas dxs participantes.

 

Oradora convidada

Luísa Sequeira

Luísa Sequeira é realizadora e faz curadoria de cinema, trabalha em diferentes plataformas, como, vídeo, filme e fotografia, explorando as intersecções do cinema e dos media emergentes. Estudou jornalismo e tem uma especialização em realização de documentários, neste momento está a fazer um doutoramento em Arte dos Media. Luísa trabalhou na RTP, coordenando e apresentando vários projectos. Entre eles, destacam-se o “Cumplicidades” e o “Fotograma”, um magazine semanal dedicado ao cinema em língua portuguesa. Desde 2010, é diretora do festival de curtas-metragens “Shortcutz Porto” e do “Super 9 Mobile Film Fest”, o primeiro festival português, exclusivamente dedicado a filmes realizados com mobile.  Recentemente, estreou a sua primeira longa-metragem documental, “Quem é Bárbara Virgínia?”, filme que foi exibido em vários festivais de cinema, entre eles, o festival Internacional de Roterdão, Mostra de São Paulo e o Doclisboa, foi o vencedor na categoria de documentário no Festival Caminhos do Cinema Português. Realizou e produziu várias curtas, entre elas; “Os Cravos e a Rocha”, “La Luna”, “Memória, substantivo feminino” e “My Choice”. Co-realizou com o artista Sama, uma série de animação de 13 episódios para o canal Brasil. Neste momento está a realizar com o artista Sama o documentário” Nada a Temer”, um filme sobre a actual situação política e social do Brasil e está a produzir com a Luísa Marinho e com a Ana Luísa Amaral um documentário sobre “As Novas Cartas Portuguesas”.

 

Inscrições

A participação é gratuita, com inscrição obrigatória aqui

 

Coordenação

Carla Cruz (i2ADS/FBAUP)

Local FBAUP
Data 5 de Dezembro de 2019
Info Inscrições abertas
PDF poster