Eduardo Brito

Investigador Colaborador
Biografia

Eduardo Brito (Guimarães, 1977). Trabalha em curadoria, fotografia e argumento. Tem o mestrado em Estudos Artísticos, Museológicos e Curadoriais pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, onde investiga no Núcleo de Arte e Intermedia do I2ADS. Foi coordenador do Reimaginar Guimarães, projecto de arquivo e curadoria de espólios fotográficos desenvolvido no âmbito da Guimarães 2012 Capital Europeia da Cultura. Licenciado em Direito pela Universidade de Coimbra, com Erasmus na Université Jean Moulin em Lyon. Em Coimbra Estudou História e Estética do Cinema na Faculdade de Letras. Foi jornalista e fotógrafo do Jornal Universitário e, durante oito anos, locutor da Rádio Universidade de Coimbra. Em 2010 viajou pelos EUA como bolseiro do German Marshall Fund for the United States. Na Secção de Fotografia do Cineclube de Guimarães, da qual é um dos fundadores, é monitor dos cursos de fotografia a preto e branco desde 2003. Fez a fotografia do livro Minho, Traços de Identidade (2007-2009), editado pela Universidade do Minho. Autor da série fotográfica Terras Últimas (2010), uma viagem entre Finisterre, Finistère e Land's End, edição e exposição no Centro Cultural Vila Flor, Guimarães. Em 2013 editou, com Rita Medinas Faustino, o livro e o filme Volta e foi co-autor, com Joana Gama, da instalação Terras interiores (vídeo, fotografia, música), a partir de uma obra de Carlos Marecos. Escreveu e realizou as curtas-metragens Antropia (2009) e Linha (2013). Fez o argumento do filme O Facínora, de Paulo Abreu. Em 2014 imprimiu e publicou o livro Uma Variação Veneziana. É um dos nove fundadores do CAAA Centro para os Assuntos da Arte e Arquitectura, em Guimarães. É co-fundador da editora Pianola (Lisboa).